FANDOM


"Volantis" faz parte de História e Tradição, uma série de animações especiais incluídas no Blu-ray da 5ª Temporada de Game of Thrones. É narrado por Conleth Hill como Varys.

Sinopse

Varys discute sobre a história de Volantis, a mais antiga das Cidades Livres, desde seu início humilde como a primeira colônia de Valíria.

Narração

Varys: Valíria era jovem, e como os jovens fazem, buscou espalhar sua semente. Sua primeira filha foi Volantis, um posto avançado no poderoso Rio Roine na fronteira do império. Lá, os senhores de dragões ergueram as famosas Muralhas Negras — pedra de dragão ininterrupta, com dois mil pés de altura, tão grossa que seis carruagens com quatro cavalos podem correr ao longo do parapeito lado a lado, como fazem todo ano para celebrar a fundação da cidade. Até hoje, apenas aqueles cuja ascendência pode ser traçada até a Antiga Valíria estão autorizados a morar dentro das Muralhas Negras. Ninguém é sequer permitido a pisar dentro sem um convite explícito de um herdeiro do Velho Sangue, o que significa, é claro, o sangue antigo e nobre dos soldados da infantaria.

Durante os primeiros cem anos da cidade, seus únicos habitantes eram sua guarnição. Mas aonde os soldados vão, o vício os segue. Tavernas e bordéis começaram a brotar fora das Muralhas Negras, e navios mercantes começaram a aparecer, também, trazendo o negócio preferido do Mar de Verão: escravos. A margem leste encheu-se de casas, lojas e sociedade. Assim, as tavernas e bordéis foram para a margem oeste, onde forasteiros, mercenários e piratas ergueram sua própria cidade-sombra de fornicação, bebedeira e assassinato. Com o tempo, a margem oeste tornou-se uma fossa tão grande de crime e depravação que os volantinos não tiveram escolha senão enviar seus soldados escravos para o outro lado do Roine para restaurar a ordem e certa aparência de decência. Como todas essas missões, eles conseguiram, foram embora e, em seguida, falharam.

Quando os volantinos se cansaram de enviar seus soldados pelo Roine a cada ano, eles construíram a famosa Grande Ponte de Volantis, forte o suficiente para suportar o peso de mil elefantes e muitos mais soldados. A Grande Ponte de Volantis é conhecida hoje como a maior ponte de todo o mundo conhecido. Os governantes volantinos pretendiam que a ponte espalhasse a população da margem leste à oeste. Em vez disso, a depravação da margem oeste se espalhou para o leste. Lojas, templos, tavernas, pousadas e bordéis se alinharam através da ponte, a maioria com três ou quatro andares de altura, com cada piso pendendo ao inferior. Pode-se comprar qualquer coisa na Grande Ponte, ou roubar, se as mãos das pessoas forem rápidas o suficiente. Mas se não forem...

Porém, pelo menos metade da população não cometeu maior crime que desagradar um mestre. Pois em Volantis há cinco escravos para cada homem livre, uma proporção comparável apenas às cidades da Baía dos Escravos. Os mestres volantinos marcam suas propriedades com tatuagens faciais, permanentes e cicatrizantes, que denotam a vocação do escravo. Soldados escravos possuem marcas de tigre verdes em seus rostos. Prostitutas escravas são marcadas por lágrimas sob um olho. Os escravos que recolhem o estrume de cavalos e elefantes são marcados com moscas. Os motoristas dos hathays, as carroças puxadas pelos pequenos elefantes de Volantis, são marcados por rodas, e assim por diante. Um mestre pode conceder a liberdade ao escravo, mas nenhum homem pode dar um novo rosto.

É de admirar, então, que os escravos e homens libertos se voltaram, em tão grande quantidade, aos sacerdotes que pregam sobre um fogo purificador? Diz-se que Templo do Senhor da Luz em Volantis é o maior em todo o mundo, maior até que o Grande Septo de Baelor. Todos que servem dentro desse poderoso templo são escravos, comprados quando crianças e treinados para se tornarem sacerdotes, prostitutas do templo ou guerreiros. E pode-se argumentar que os aderentes de fora do templo também são escravos, na mente, se não no corpo. A magia não liberta ninguém além de seu praticante, para fazer o que quiser com aqueles que não podem, assim como as Muralhas Negras libertam o Velho Sangue para ver o que querem, sem aqueles que não querem. Mas é preciso perguntar-se quanto tempo tais liberdades durarão, quando do outro lado de Essos, ouve-se o som de correntes quebrando, de escravos se erguendo, de dragões rugindo. Volantis pode chamar-se de primeira filha de Valíria, mas não é a última.

Aparições

Lugares

Religião

Instituições

Nações

Títulos

Diversos

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória